A Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) apelou para que Jerusalém Oriental seja reconhecida como a capital da Palestina. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista Dmitry Mariyasis falou sobre prováveis consequências dessa decisão.






A Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) afirmou que após a decisão da Casa Branca sobre a transferência da embaixada norte-americana para Jerusalém, Washington perde seu estatuto de mediador, em relação ao regulamento do conflito no Oriente Médio. Foi isso que estipulou a resolução aprovada durante a cúpula da OCI, realizada em Istambul.
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou sobre a convocação de uma cúpula de emergência da organização na semana passada, após a decisão do líder dos EUA, Donald Trump, de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e transferir para lá sua embaixada de Tel Aviv.

"Em abril, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia declarou que em meio ao processo de paz, a Rússia está disposta a reconhecer Jerusalém Oriental como a capital do futuro estado árabe e considerar Jerusalém Ocidental como a capital de Israel. Mas o fará no contexto de resolução pacífica. Esta é uma abordagem equilibrada", comentou o entrevistado.

Em 1949, Israel declarou Jerusalém como sua capital. Por sua vez, a Palestina designa a parte oriental da cidade como sua capital, que em 1967, Israel arrancou da Jordânia e anexou.

Veja também: 
Pastores Deixam CGADB Para Fundar Nova Instituição

A comunidade internacional não reconhece esta anexação e acredita que a disputa deva ser resolvida por meio de negociações entre os palestinos e israelenses.
Em 1995, o Congresso dos EUA decidiu reconhecer Jerusalém como a capital de Israel. Contudo, todos os presidentes norte-americanos, inclusive Trump, regularmente adiaram a assinatura dos documentos aprovando a transferência de sua embaixada. 

Fonte: Sputniknews
Próximo
Esta é a publicação mais recente.
Anterior
Postagem mais antiga
Axact

ALTGOSPEL

altgospel é um veículo de comunicação online totalmente independente que fornece conteúdos alternativos de notícias cristãs e atualidades do mundo gospel.

Publique um comentário:

0 comments: